Entries by Saber Sobre o Saber Treinar

“Havia algo irresistível em estar perto desses grupos que me fazia desejar mais conexão.”

No livro “The Culture Code” de (Daniel Coyle, 2018) encontramos um texto interessante sobre a coesão de equipa, a qual, nalguns casos de sucesso atinge o estatuto de “família”. De facto, também no Futebol vai emergindo internamente nas melhores equipas a denominação “família” perante um alto nível de ligação, alinhamento, solidariedade e cumplicidade. No fundo, […]

Vitinha… o mestre do “Privilégio pelo passe vertical”

A 21 de Março publicámos o sub-princípio ofensivo Privilégio pelo passe vertical.  O português Vitinha apresenta uma qualidade tremenda nesta acção táctica. Seja em Transição Ofensiva, seja em Organização Ofensiva. Num momento da evolução do jogo em que, tendo em conta o exemplo do Barcelona de Guardiola, se temia a exacerbação da posse e circulação […]

Modelo de treino de Kazimierz Fidelus

Publicamos um novo tema na área Metodologia, sub-tema Metodologia geral do Treino, sub-sub-tema História do treino do futebol. Abordamos o capítulo Modelo de treino de Kazimierz Fidelus. Referimos que apesar de não encontrarmos muitas referências bibliográficas a propósito do trabalho de Kazimierz Fidelus, vários autores e trabalhos sobre a história do treino apontam o trabalho […]

Esconder a acção táctica

Publicamos um novo sub-tema na área Ideia de Jogo proposta. Trata-se de uma qualidade da Acção táctica, o Esconder a acção táctica. Acompanhamos o texto com uma compilação em vídeo de diversas situações ilustrativas da importância desta qualidade em várias acções de jogo. “Contudo, esta preocupante tendência não se esgota na formação, tendo repercussões claras […]

A era da Periodização Física

Publicamos um novo tema na área Metodologia, sub-tema Metodologia geral do Treino, sub-sub-tema História do treino do futebol. Abordamos o capítulo A era da Periodização Física. “Nos meus primeiros anos como treinador fazia coisas piores do que me faziam a mim e as quais repudiava. Porque não sabia fazer mais nada.” (Luís Castro, 2017)